Foto com uma servidora mostrando a carta em primeiro plano e no fundo outras servidoras na escadaria do Paço Municipal respeitando o distanciamento

Os servidores marcaram um ato para cobrar do governo a promoção dos aprovados no concurso para Equipes Técnicas. No dia seguinte, o governo anunciou que iria fazer as promoções que estava protelando desde começo do ano.

Mesmo assim, as educadoras se mantiveram firmes e foram até o Paço Municipal cobrar mais nomeações e datas. Isso porque, o número anunciado de promoções é muito baixo diante dos cargos vagos e a necessidade da rede. As 45 promoções anunciadas para a próxima semana preenchem apenas os cargos que ficaram vagos em 2020.

Ou seja, essa “boa notícia” anunciada em live pelo prefeito, vai deixar a cidade no mesmo patamar de substituições que já estava no final de 2019, onde faltavam:

  • 39 Especialistas de Educação I – Assistentes de Direção;
  • 61 Especialistas de Educação I – Coordenadores Pedagógicos;
  • 31 Especialistas de Educação I – Orientadores Educacionais;
  • 21 Especialistas de Educação II – Diretores de Unidade Escolar;
  • e 26 Especialistas de Educação III – Supervisores de Ensino.

Ontem (01/07) pela manhã, no Paço, as servidoras foram recebidas pelo Secretário de Gestão e entregaram a reivindicação em uma carta assinada por 140 profissionais que hoje, em sua maioria, substituem os cargos vagos.

Segundo ele, a Lei Eleitoral em conjunto com Lei do Auxílio Federal “Granada no Bolso” (proposta por Bolsonaro e aprovada pelo congresso), impõe que sejam repostos apenas os cargos vagos neste ano.

Se for isso mesmo, as Unidades Municipais de Educação continuarão a amargar por mais tempo todos os problemas que vem enfrentando há muito tempo. Com escolas em que as Equipes Técnicas, volta e meia, são trocadas (por estarem substitutas), causando prejuízos ao bom andamento do projeto pedagógico.

É uma lástima que os servidores tenham que lutar pela reposição de funcionários derivadas de aposentadorias, exonerações e ou falecimentos, pois estas promoções deveriam ocorrer de forma automática.

Independente do parecer da procuradoria, os servidores junto com o SINDSERV continuarão pressionando até que TODOS OS CARGOS VAGOS ESTEJAM OCUPADOS!

SÓ A LUTA COLETIVA MUDA A VIDA!