Gráfico de óbitos de Santos: "339 famílias perderam seus entes (só em Santos)". Com imagem de fila pra entrar em ônibus e título da reportagem: "Caos no transporte público"

Os empresários da região pediram e os prefeitos das cidades da Baixada Santista estão reabrindo o comércio, as praias, os shoppings e voltando com os serviços públicos. Essa irresponsabilidade vai custar a vida de muitos trabalhadores da nossa região.

Trabalhadores esses que terão que enfrentar ônibus lotados para ir e para voltar. Os trabalhadores que não puderam parar por serem de serviços essenciais, ficarão mais sobrecarregados ainda.

Enquanto isso os patrões e governantes continuarão no home office. E quando um dos nossos falecer, estarão bem longe, nos contarão apenas como número.

As cidades da região de Campinas, que reabriram algumas semanas atrás, já estão fechando novamente dado o grande aumento nos casos e nas mortes.

Não há respaldo algum para relaxar o isolamento. Os números só aumentam todos os dias. Em Santos, por exemplo, os números só crescem. A leve estabilização na última semana que o prefeito usa como desculpa é um engodo! Isso porque, após a morte, demora de uma a duas semanas para confirmar se o óbito foi por COVID-19. O prefeito sabe muito bem disso, não é por ignorância, e isso faz sua atitude de reabertura mais criminosa ainda.

Gráfico de óbitos de Santos: "339 famílias perderam seus entes (só em Santos)".
https://egov.santos.sp.gov.br/santosmapeada/Saude/DadosDEVIG/MapaDEVIG/#divPesquisasOBITO

Em Praia Grande, que a imprensa fez belas reportagens a classificando como exemplo de combate ao Coronavírus, os números divulgados não batem com a realidade. Enquanto a Prefeitura publica 84 mortes, os dados do Cartório Civil são de 130.

Bolsonaro, Doria, Paulo Guedes, Paulo Alexandre etc, tentam parecer diferentes, mas todos obedecem o mando dos empresários. Empresários esses que financiam suas campanhas eleitorais. É o lucro acima das vidas.

DENUNCIE!

Só podemos contar com nós mesmos! Tomemos todo cuidado e cautela na volta ao trabalho! E se não forem garantidas as condições mínimas de segurança ou se a chefia pedir para fazer alguma atividade que ponha em risco a saúde dos servidores ou população: DENUNCIE AO SINDICATO!