O recente decreto 53073 do governador do Estado de São Paulo José Serra restringe ao magistério e ao funcionalismo público, entre outros absurdos, as faltas médicas a apenas seis ao ano. Dessa forma ignora e discrimina as pessoas que vivem com HIV, com lúpus, com câncer, com diabetes, entre outras doenças crônicas, e que necessitam de consultas médicas MENSAIS, seja para acompanhar a evolução do quadro, seja para retirar medicamentos no serviço público, que todos sabemos, funciona até as 17 horas.
Portanto, um governo que faz sua propaganda eleitoral solapando o movimento social e arvorando para si as conquistas e avanços do movimento social na luta contra a Aids, finalmente mostra sua verdadeira face: a da discriminação, a do despotismo e a da negligência!

Chamamos as ONGs que trabalham com portadores de HIV, o movimento social a engrossar a luta dos professores do estado de São Paulo, em greve há 8 dias, não pelos salários aviltantes como a imprensa vem divulgando e , sim, pela melhoria das condições de ensino e trabalho!
 
Mande seu e-mail, sua carta, seu fax ao gabinete do governador do Estado repudiando mais esse atentado contra a vida!

Pelo fim do decreto 53073, pelos direitos dos trabalhadores vivendo com HIV e outras doenças de trabalho a ter uma vida digna!

Viva a vida!

Roberto Nicolosi
Presidente da APTA