Professoras reunidas

Um grupo de professoras foi ao Paço Municipal no dia 17/02 reivindicar a prorrogação do concurso público para a função de Professor Adjunto I e II, realizado em 2018 (Edital nº 7/2018).

A Secretaria do Governo e a Jupof (Junta Municipal de Promoção Orçamentária e Financeira) já haviam assinado documento descartando a prorrogação. Se o governo não prorrogasse o concurso, que teve a vigência de apenas um ano, o edital perderia a validade já no dia 19/02.

As professoras queriam saber os motivos do governo não querer prorrogar e nem estar nomeando os habilitados do concurso, mesmo tendo várias escolas com carência de docentes.

A pressão surtiu efeito

Nenhum representante queria atender as professoras, mas elas insistiram. Conseguiram falar com a Secretaria de Educação e depois o vice-prefeito as recebeu.

No dia seguinte elas foram novamente ao Paço e o Secretario de Gestão anunciou que o governo mudou de ideia e iria prorrogar o concurso. O que foi feito no Diário Oficial do dia seguinte (19/02).

Parabéns pela conquista! Professoras que ainda nem entraram na rede municipal de ensino e já aprenderam que SÓ A LUTA MUDA A VIDA!

“Nada é impossível de mudar”

Desconfiai do mais trivial,
na aparência singela.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.

Suplicamos expressamente:
não aceiteis o que é de hábito como coisa natural,
pois em tempo de desordem sangrenta,
de confusão organizada,
de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural
nada deve parecer impossível de mudar.

Bertolt Brecht