Foto da bancária, representante sindical, Thais Menezes, falando ao microfone com outros trabalhadores em volta

ATUALIZAÇÃO 08/10/2020

Por conta da grande pressão e ampla divulgação feita por diversos sindicato, entidades e trabalhadores, o Banco do Brasil arquivou o processo administrativo contra a bancária sem nenhuma penalidade. O Banco reconhece assim seu grande equívoco em abrir um processo de caráter antissindical.

“Agradeço a cada trabalhador que se solidarizou, que divulgou a campanha e a cada sindicato e entidade que contribuiu prontamente se posicionando em minha defesa e daqueles que lutam em defesa da vida e dos direitos de todos os trabalhadores. Jamais podemos aceitar os desmandos dos patrões e a imposição de condições de trabalho e de vida que ferem direitos. Por menor que seja, sobretudo nessa conjuntura que vivemos, podemos dizer que hoje é um dia vitorioso para os trabalhadores e para a defesa dos direitos e da vida dos bancários e de toda a nossa classe. Sigamos sempre firmes na luta em defesa da vida e das condições de trabalho!”, Thais Menezes.


O SINDSERV Santos repudia a absurda e inaceitável a perseguição política contra a bancária, representante sindical, Thais Menezes. A gestão do Cesup Plataforma São Paulo, no complexo Verbo Divino do Banco do Brasil, abriu processo disciplinar contra Thais, única e exclusivamente por ela cumprir seu dever como representante sindical de base eleita e trabalhadora: fiscalizar, denunciar e tomar a frente da luta contra as péssimas condições de trabalho impostas ao conjunto dos trabalhadores de sua unidade em meio à pandemia do novo coronavírus.

Thais cumpriu seu dever onde a gestão do banco falhou, ao zelar pela vida de seus colegas de trabalho e por isso está sendo perseguida. A postura do banco está em completo desacordo com o acordo coletivo da categoria que regulamenta a atuação do representante sindical de base, bem como com as legislações trabalhistas brasileiras e internacionais das quais o Brasil é signatário que resguardam o direito à liberdade sindical, à livre organização e à não discriminação dos trabalhadores.

A postura da gestão do local de trabalho de Thais de descumprimento das normas está em desacordo com as legislações sanitárias de prevenção ao contágio pelo Covid 19 e oferece risco não só aos trabalhadores do Banco do Brasil, mas a toda a sociedade.

Tendo em vista que o processo aberto contra Thais é de cunho exclusivamente antissindical e persecutório, exigimos o reconhecimento por parte do Banco do Brasil de que tal ato foi um equívoco e, portanto, a nulidade imediata do processo administrativo.

Sabemos que nada foi dado de presente à classe trabalhadora. Cada direito foi conquista de muita luta dos que vieram antes de nós e mantido com a luta e perseverança de lutadores e lutadoras como Thais Menezes. Não é surpresa que tamanho desrespeito à livre organização dos trabalhadores aconteça em um momento como o que vivemos, onde um governo de extrema direita comandado por um fascista como Bolsonaro ameaça os direitos e a vida da classe trabalhadora com sua política de morte. Não aceitaremos que nos tirem o direito de lutar pela vida!

Diante disso exigimos do Banco do Brasil: O CANCELAMENTO IMEDIATO DO PROCESSO CONTRA THAIS MENEZES!
E RESPEITO A LIVRE ORGANIZAÇÃO SINDICAL, À DEFESA DA VIDA, DOS DIREITOS E À LUTA DA CLASSE TRABALHADORA!