NÃO VOTE NELES (parte 13 de 13): VER PARA NÃO ESQUECER

CÂMARA É INIMIGA HISTÓRICA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS

A Câmara de Santos sempre serviu como despachante para as ações do governo que, pela lei orgânica, necessitam do aval do Legislativo.

No que diz respeito aos ataques aos direitos dos funcionários municipais, o parlamento municipal também executou muito bem seu papel subserviente.

Na última gestão de Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) não foi diferente. Mesmo durante a maior greve dos servidores municipais de Santos, os vereadores demonstraram o quanto estão comprometidos com o projeto de desmonte do serviço público do prefeito.

Por isso, nestes últimos três anos, em muitos momentos os trabalhadores escolheram a sede da Câmara como palco de atos e manifestações.

Agora que os parlamentares estão correndo atrás de voto para reeleição, se faz ainda mais necessário lembrar a categoria desses momentos de embate e resistência.

Fizemos um apanhado dos episódios (documentados em vídeos) em que a nossa luta se deslocou para o Castelinho. É ver para não esquecer que Executivo e Legislativo falam a mesma língua quando o assunto é governar para políticos e empresários e contra os trabalhadores.

16/03/2017

8º DIA DE GREVE
Em passeata, milhares de servidores vão até a porta da Câmara exigir que os vereadores se pronunciem sobre a proposta de redução salarial do prefeito Paulo Alexandre (índice abaixo da inflação). Centenas de mães e pais de alunos engrossam o ato. Vereadores Chico Nogueira (PT), Kenny Mendes (PP). Telma de Souza (PT), Constantino (PSDB), Rui de Rosis (PSL), Adilson Jr (PP), Lincoln Reis (PR), Fabrício Cardoso (PODE), Sérgio Santana (PL), Roberto Teixeira (PRB), Boquinha (PSDB), Audrey Kleys (PP), Fabiano da Farmácia (PR) e Zequinha Teixeira (PP) se comprometeram a não votar nenhum projeto de lei com reajuste menor do que a inflação.

03/04/2017

26º DIA DE GREVE
Ato em frente ao Castelinho relembra o compromisso dos vereadores de não votarem a proposta rebaixada do Governo. Dos 21 vereadores, apenas 3 reafirmaram o compromisso: Chico Nogueira, Telma de Souza e Fabrício Cardoso. Os trabalhadores entraram no plenário da Câmara e se fizeram ouvir durante a sessão.

06/04/2017

29º DIA DE GREVE
Com o projeto de lei sobre o reajuste abaixo da inflação em pauta na Casa, a categoria volta à Câmara para pressionar os vereadores a cumprirem a promessa feita três semanas antes. Oito vereadores rejeitaram o rebaixamento salarial (Audrey Kleys, Benedito Furtado, Fabrício Cardoso, Chico Nogueira, Zequinha Teixeira, Kenny Mendes, Rui de Rosis e Telma de Souza).
Constantino, Adilson Jr, Lincoln Reis, Sérgio Santana, Roberto Teixeira, Boquinha, Fabiano da Farmácia não cumpriram com a palavra. Também votaram contra a categoria Ademir Pestana, Augusto Duarte, Banha, Braz, Bruno Orlandi e Carabina.

10/04/2017

33º DIA DE GREVE
Em segunda e definitiva votação, os servidores lotam as galerias da Câmara e gritam “Vergonha” aos vereadores que viraram as costas para os funcionários. O placar foi o mesmo da sessão anterior. A Câmara deu mais um exemplo que governa para quem ter poder político e econômico e contra a população e os trabalhadores.

09/08/2017

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE A PROMOÇÃO DOS PROFESSORES ADJUNTOS
Diretores do SINDSERV e professores cobram a promoção de Professores Adjuntos e denunciam a intransigência e a irresponsabilidade da política educacional do Governo.

11/12/2017

SINDICATO DENUNCIA NOVO ATAQUE
Na Tribuna Cidadã da Câmara, diretora do SINDSERV denuncia que Governo e vereadores se juntaram para aprovar, em regime de urgência e às vésperas do Natal, mais um projeto prejudicial aos servidores. O projeto do prefeito aumentou ainda mais o já longo prazo para pagamento de precatórios decorrentes de ações trabalhistas. Votaram contra os trabalhadores: Ademir Pestana, Banha, Augusto Duarte, Boquinha, Braz Antunes, Bruno Orlandi, Carabina, Constantino, Fabiano da Farmácia, Lincoln Reis, Roberto de Jesus, Sérgio Santana e Zequinha Teixeira.

06/08/2018

SINDSERV DENUNCIA DESMONTE DA SAÚDE
Falta de equipes, falta de condições de trabalho, insegurança e terceirização nas unidades da rede municipal de Saúde foram tema de mais uma participação do SINSDERV na Tribuna Cidadã da Câmara, após o episódio de violência contra uma servidora do Hospital da Zona Noroeste. Descaso e omissão da Secretaria de Saúde foram denunciados em plenário.

14/10/2019

SERVIDORES DO ALMOXARIFADO DE MEDICAMENTOS FAZEM ATO CONTRA A AMEAÇA DE TERCEIRIZAÇÃO
Trabalhadores dialogaram com a população na porta do Castelinho, distribuíram panfletos e denunciaram nas galerias da Câmara os riscos de entregar mais um serviço estratégico para uma empresa. Com a pressão dos trabalhadores e advertência do Sindicato, o Governo recuou.

19/12/2019

MAIS PROTESTOS: A MANDO DO PREFEITO, CÂMARA APROVA AUMENTO DO DESCONTO NO IPREV NO SALÁRIO DOS SERVIDORES
Trabalhadores tentaram resistir, mas os vereadores capachos do prefeito votaram a lei que impôs redução de 2% no salário de TODOS os servidores de Santos.

28/07/2020

SINDSERV VAI À TRIBUNA CIDADÃ E FALA SOBRE O CALOTE NO IPREV
Governo envia à Câmara projeto para deixar de recolher parte das contribuições previdenciárias patronais, alegando necessidade de aumentar o caixa por conta da pandemia. O Sindicato detalhou aos vereadores e à Cidade o ataque ao sistema de previdência dos funcionários que fazem a máquina municipal funcionar. No final, os gastos no combate ao COVID-19 nunca foram divulgados com transparência pelo Executivo. A Câmara, como sempre, se omitiu.

NÃO VOTE NELES:

– Rogério Santos (PSDB), ex-secretário de governo, candidato a prefeito indicado por Paulo Alexandre;
– Banha (MDB), vereador por 5 mandatos, candidato a prefeito;
– Ademir Pestana (PSDB), vereador, candidato ao 5º mandato;
– Adilson Junior (PP), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Audrey Kleys (PP), vereadora, candidata ao 2º mandato;
– Augusto Duarte (PSDB), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Benedito Furtado (PSB), vereador, candidato ao 6º mandato;
– Boquinha (PL), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Braz Antunes (PSDB), ex-vereador, candidato ao 4º mandato;
– Bruno Orlandi (DEM), vereador, candidato ao 2ª mandato;
– Cacá Teixeira (PSDB), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Carabina (PSDB), ex-vereador, candidato ao 3º mandato;
– Dr. Catapreta (PP), suplente de vereador, candidato ao 1º mandato;
– Fabiano da Farmácia (PL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Hugo Duppre (REPUBLICANOS), vereador, candidato ao 4º Mandato;
– Lincoln Reis (PL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Manoel Constantino (PSDB), vereador, candidato ao 10º mandato;
– Pastor Roberto de Jesus (REPUBLICANOS), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Paulo Mansur (PP), empresário (sobrinho de Beto Mansur, condenado por manter trabalhadores em situação análoga à escravidão e ex-prefeito que deixou os servidores 8 anos sem reajuste), candidato a vereador;
– Rui de Rosis (PSL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Sergio Santana (PL), vereador, candidato ao 3º mandato;
– Zequinha Teixeira (PP), vereador, candidato ao 3º mandato.

OUTROS MOTIVOS:

– Parte 1 (introdução);
– Parte 2 (campanhas salariais);
– Parte 3 (granada no bolso);
– Parte 4 (IPREV);
– Parte 5 (CAPEP);
– Parte 6 (aumento do desconto);
– Parte 7 (Titularidade);
– Parte 8 (ataque aos servidores doentes);
– Parte 9 (calotes);
– Parte 10 (Portarias e Decretos);
Parte 11 (incorporações);
Parte 12 (terceirizações);
Parte 13 (ver para não esquecer).