Foto do ato contra o calote ao IPREV

Apesar dos servidores gritarem em alto e bom som, a bancada surda dos vereadores governistas só escuta a voz do patrãozinho Paulo Alexandre. E isto quer dizer inclusive passar por cima do parecer da própria Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara. Disseram “sim” ao projeto de CALOTE no IPREV Santos, enquanto tapam os ouvidos e transformam a razão e o racional em discursos vazios.

Os servidores e o sindicato multiplicaram a crítica pelas redes sociais, oficiaram ao prefeito e aos vereadores, levaram à imprensa, foram à Tribuna Cidadã da própria Câmara, tudo para trazer alguma RAZÃO às entorpecidas mentes destes “eleitos” (veja os links abaixo).

Mas de que forma colocar a RAZÃO (assim, em maiúsculo, como capacidade cognitiva, cultural e histórica) para enfrentar estes senhores e senhoras que servem a outros interesses?

A luta não iniciou hoje e não termina amanhã. O prefeito de Santos e os vereadores que apoiaram esta e outras decisões contra o interesse público tem que ser persuadidos de outras formas, já que a Razão não lhes serve de base para decidir.

Veja quem votou CONTRA os servidores

Ademir Pestana (PSDB), Adilson Júnior (PP), Augusto Duarte (PSDB), Bruno Orlandi (PSDB), Cacá Teixeira (PSDB), Boquinnha (PL), Hugo Duppre (PR), Lincoln Reis (PL), Manoel Constantino (PSDB), Roberto Oliveira (PRB), Rui de Rosis (PSL), Sadao Nakai (PSDB), Sergio Santana (PL) e Zequinha Teixeira (PP).

A LUTA CONTINUA!

Se o objetivo dos servidores públicos municipais de Santos for manter o mínimo necessário para uma vida digna: precisamos, e devemos, manter uma campanha contínua de mobilização por esta e outras reivindicações.

Porque Paulo Alexandre e sua base de vereadores não demonstram a menor intenção de agir para a dignidade humana, através do reconhecimento material (salários) do trabalho realizado por servidoras e servidores. Pelo contrário, parecem “guiados” por outros interesses.

No máximo, condecoram com uma medalha e olhe lá!

LINHA DO TEMPO

04/05/2020: Denunciamos a bomba que Bolsonaro, Paulo Guedes, deputados e senadores estavam armando contra todos os servidores do Brasil;

01/06/2020: Explicamos o que Paulo Guedes quis dizer com “granada no bolso do inimigo”;

16/06/2020: Denunciamos quando Paulo Alexandre resolveu puxar o pino da tal granada;

09/07/2020: Para empresários, Prefeitura doará R$ 1 MILHÃO. Para os servidores, CALOTE;

13/07/2020: Fizemos um ato presencial contra o CALOTE;

14/07/2020: O sindicato fez fala na Câmara dos Vereadores contra o CALOTE;

21/07/2020: Denunciamos os conselheiros que se omitiram.