Foto do Paulo Alexandre abraçado com Bolsonaro

Isso mesmo! Cumprindo a Reforma da Previdência do governo federal, Paulo Alexandre acabou de mandar (segunda-feira, 9/dez) para a Câmara dos Vereadores um Projeto de Lei que:

a) Aumenta o desconto de TODOS OS SERVIDORES ao IPREV Santos em 2%. Atualmente, os trabalhadores pagam 12%. Com a nova Lei, serão descontados 14%;

b) Acaba com as incorporações, reduzindo os valores dos cálculos da aposentadoria de agora em diante. A intenção com isto é clara: empurrar os servidores para a tal previdência privada complementar e aumentar, ainda mais, o lucro dos banqueiros.

Veja a lista das incorporações que serão cortadas:

  • Substituição de Função Técnica de Educação (FTE);
  • Parcelas remuneratórias pagas em decorrência de local de trabalho;
  • Cargo em Comissão (C’s), Função Gratificada (FG) ou Comissionada;
  • Parcela paga a servidor indicado para integrar conselho ou órgão deliberativo, na condição de representante do governo;
  • Parcelas de caráter temporário.

Por que Bolsonaro, os partidos ligados a ele e a Paulo Alexandre, atacam os servidores?

A justificativa do Bolsonaro para aumentar os descontos e piorar as aposentadorias é que a Previdência nacional, dos Estados e municípios, estaria quase falindo. Uma grande mentira!

Nacionalmente foi criada até uma CPI para investigar isso. A CPI revelou que não havia falência nenhuma, apenas desvios de todos os governos para engordar os banqueiros e os especuladores do sistema financeiro.

Já em Santos, o prefeito atual anunciou para todos que estaria sobrando dinheiro para as nossas aposentadorias. Sobrando tanto que em 2015 escolheu diminuir o repasse da dívida da prefeitura de 6% para 2%. Os servidores ficaram com medo do IPREV quebrar com isso, ocuparam o Paço Municipal e a resposta do prefeito e vereadores foi essa: “Não há fundamento para a especulação de perda de benefícios porque a reserva é muito mais do que suficiente para os pagamentos previdenciários atuais e futuros”, disse o prefeito. “Os servidores podem ficar tranquilos que terão seus direitos assegurados. A aposentadoria não será alterada”, afirmou o presidente da Câmara a época, o vereador Constantino (PSDB de Paulo Alexandre).

Aquele papinho de que a Reforma da Previdência do Bolsonaro pegaria apenas para os servidores das cidades endividadas era tudo balela. A Reforma aprovada nacionalmente vem de cima pra baixo obrigando todos a pagarem mais e receberem menos.

Entendeu agora porque parte dos servidores se mobilizou contra a Reforma da Previdência do Bolsonaro?

Foto da greve geral na Praça Mauá no dia 14/06/19
Foto da greve geral na Praça Mauá no dia 14/06/19

Alguns servidores, ainda iludidos com as mentiras do governo Bolsonaro, criticaram o sindicato por convocar a categoria para brigar contra a Reforma da Previdência. Segundo eles, seria uma Reforma que não nos atingiria e o sindicato estava fazendo “politicagem” para atrapalhar o “mito”.

Outra parcela dos servidores enxergou o óbvio: a necessidade de se mobilizar contra os ataques do Bolsonaro. Compreenderam que a Reforma da Previdência atacaria a todos os trabalhadores brasileiros. E os problemas derivados desse ataque estão só começando.

DE OLHOS ABERTOS, VAMOS À LUTA!

Várias outras péssimas mudanças para nossa aposentadoria serão feitas nos próximos meses. Para continuar nossa batalha, de olhos abertos e sem ilusões em mitos, devemos retomar a luta para que Paulo Alexandre devolva os 4% que tomou das nossas aposentadorias.