Incidente ocorreu no corredor próximo ao Centro Cirúrgico; não houve feridos

Por A TRIBUNA

Parte do teto do Hospital da Zona Noroeste desabou (Foto: Reprodução/Sobreviver em Santos)

Parte do teto do Hospital da Zona Noroeste desabou (Foto: Reprodução/Sobreviver em Santos)

Parte do teto do Hospital da Zona Noroeste de Santos desabou no início da manhã desta sexta-feira (27). Informações preliminares da Secretaria de Saúde da Cidade indicam que incidente não deixou feridos entre pacientes e funcionários. O Sindicato dos Servidores Públicos reclama que os problemas na instalação existem há, pelo menos, dois anos.

O desabamento ocorreu por volta das 6h30, próximo à área onde localiza-se o Centro Cirúrgico. Parte do forro de gesso caiu e ficou espalhado entre materiais de limpeza e cadeiras que são utilizadas para espera de pacientes. A informação da Administração Municipal é de que na hora da queda, não havia ninguém na área e, por isso, não houve feridos.

O secretário Fábio Ferraz esteve no hospital no final da manhã e disse que a unidade vai funcionar normalmente. Segundo ele, uma equipe da Prefeitura já realizou a limpeza das calhas do telhado, que é de onde a água infiltrou. Sem detalhar, o chefe da Pasta de Saúde disse ainda que “na próxima semana” fará “anúncios” para a instalação.

Desabamento ocorreu próximo ao Centro Cirúrgico (Foto: Reprodução/Sobreviver em Santos)

Desabamento ocorreu próximo ao Centro Cirúrgico (Foto: Reprodução/Sobreviver em Santos)

Problemas recorrentes

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santos (Sindserv), Flávio Antônio Rodrigues Saraiva, denuncia que os problemas nas instalações do hospital da ZN são contatados pelos funcionários do local há, pelo menos, dois anos. Infiltração no telhado é um caso recorrente e, até o momento, segundo ele, não foi reparado.

“Há vários pontos de infiltração e isso está deteriorando o prédio. Todas as chefias que passaram por ali formalizaram a necessidade intervenções (à Prefeitura), mas até o momento nada foi feito, como pode ser visto hoje”, fala o sindicalista. No local, de acordo com ele, trabalham cerca de 200 profissionais da saúde, além de administrativos.

O presidente do Sindserv informou, ainda, que há algumas semanas um levantamento atualizado dos problemas no local foi iniciado e registros fotográficos foram feitos (veja galeria abaixo). Após o incidente desta sexta, ele se reunirá com os funcionários que trabalham no hospital para verificar o que a categoria decide. Paralisação das atividades não está descartada.