Gráficos de número de casos e de óbitos em Santos

Não foi por falta de aviso, o sindicato e a categoria não foram escutados e a Seduc prosseguiu com a distribuição de material escolar para cerca de 29 mil famílias de alunos. Essa atividade, que aconteceu no meio da quarentena decretada pelo próprio governo (dias 28, 29/05 e 01/06), NÃO ERA ESSENCIAL nesse momento que é o auge da pandemia na região.

Infelizmente, o sindicato e os servidores estavam certos e o governo realmente colocou não só os servidores em risco, mas toda a população. Após trabalhar nos dois primeiros dias de distribuição, uma professora da UME Pedro Crescenti testou positivo para Coronavírus.

Agora o governo tem a obrigação de:

  • COMUNICAR IMEDIATAMENTE todos os PAIS DE ALUNOS que foram na unidade escolar receber o material;
  • Dar todas as ORIENTAÇÕES necessárias para toda a comunidade escolar;
  • FECHAR a unidade para desinfecção;
  • Fazer TESTES semanais em todos os servidores da escola e em todos os munícipes que foram na unidade pegar o material;
  • REGISTRAR a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) para todos os servidores da unidade que testarem positivo para COVID-19.

Pior, o governo já reagendou a continuação da entrega para o dia 08/06. Ou seja, os outros servidores que tiveram contato com a servidora contagiada não ficarão 14 dias de quarentena conforme recomenda todos os protocolos de saúde em relação ao Coronavírus. E ainda vão entrar em contato com dezenas de famílias.

Falta diálogo

Sabemos que planejar e executar políticas públicas não são tarefas fáceis, principalmente durante essa pandemia. Porém, muitas decisões equivocadas poderiam ser evitadas se houvesse um maior diálogo com o sindicato e os servidores que vão executar essas políticas.

Atitudes anti-sindicais como o pedido para que os servidores não entrem em contato com o sindicato, são INCONCEBÍVEIS e precisam ser repensadas pela SEDUC, e denunciada pelos Servidores.

Reiteramos a reivindicação de que toda decisão que envolva os servidores seja dialogada com o sindicato que os representa. O SINDSERV Santos consegue em pouco tempo discutir a questão com a categoria e apresentar uma posição, evitando novos equívocos.