Fotos dos SERVIDORES DE DIFERENTES CARGOS em LUTA

Os pleitos são todos legítimos, o que falta é vontade política! Só a pressão dos próprios trabalhadores muda essa vontade!

AUXILIARES BIBLIOTECÁRIOS

Os Auxiliares Bibliotecários estão na luta por equiparação salarial com os Técnicos em Biblioteconomia.

O governo sabe que não há diferença entre os trabalhos desenvolvidos nas bibliotecas pelos profissionais dos dois cargos. No entanto, os Auxiliares ganham cerca de R$ 400,00 a menos.

A luta é parecida com a dos Auxiliares de Enfermagem que, com muita mobilização, em 2012 conquistaram a equiparação com os Técnicos de Enfermagem.

Essa é uma reivindicação já antiga e que vem sendo empurrada com a barriga pelo prefeito. Por isso, só com pressão e participação do maior número possível dos Auxiliares Bibliotecários o quadro vai mudar.

Auxiliares Bibliotecários

COZINHEIRAS

A principal luta das Cozinheiras é para que o cargo esteja no próximo Concurso Público. Sem isso, as condições de trabalho piorarão ainda mais pois a falta de profissionais sobrecarrega os servidores da cozinha e todas as iniciativas de adequação das cozinhas (que o governo promete há anos) não vai adiantar.

O governo não quer fazer o concurso para deixar o setor mais desfalcado ainda e depois usar o problema (que ele mesmo está gerando) para justificar a terceirização. Vale lembrar que Paulo Alexandre acabou de terceirizar os serviços nas cozinhas das escolas estaduais que era efetuado por servidores de Santos.

ASSISTENTES SOCIAIS

A pressão dos Assistentes Sociais é pela mudança de nível do cargo, da letra “P” para a “Q”. O Secretário de Gestão diz que o processo está andando, mas os servidores sabem que o tempo está se esgotando. Daqui a pouco já estamos no final do ano, os vereadores tiram férias e a reivindicação vai lá pro ano que vem. E 2020 é ano eleitoral e os políticos sempre usam isso como desculpa para não conceder nada. Por isso, já começaram a pensar que ações farão para pressionar o governo para que a reclassificação saia realmente ainda esse ano.

ASSISTENTES SOCIAIS

MOTORISTAS DA SEDS

Os Motoristas da Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDS) estão em movimento para corrigir o pagamento da escala de plantão. E a união desses servidores tem dado resultado, o Secretário já enviou uma proposta de Ordem de Serviço para a Procuradoria analisar.

Essa proposta reconheceria formalmente a existência da escala de plantão. E esse reconhecimento traria os benefícios já previstos em Lei (pagamento de mais 100% a hora trabalhada nos sábado e domingo que forem feriado), além de uma folga, sem prejuízo das 36h seguintes (igual a legislação que rege a Guarda Municipal).

Atualmente esses direitos têm sido negados aos motoristas. Eles trabalham inclusive durante os “descansos” remunerados.

MOTORISTAS DA SEDS

ALMOXARIFADO DA SAÚDE

A tentativa do governo de terceirizar esse setor colocou em movimento os servidores da SEALM (Seção de Almoxarifado) e da SECOMED (Seção de Especificação e Controle de Medicamentos). Eles estão nas ruas dialogando com a população sobre os enormes prejuízos de colocar uma empresa privada para fazer um serviço que já é feito (e muito bem) pelos servidores. É só mais um desvio de dinheiro público que vai desfalcar ainda mais os remédios para a população.

Experiências em outras localidades ilustram isso, veja aqui.

ALMOXARIFADO DA SAÚDE

AGENTES DE COMBATE ÀS ENDEMIAS

Grau máximo no Adicional de Insalubridade: é essa reivindicação dos Agentes de Combate às Endemias (ACE). Por pressão dos trabalhadores, o governo teve que fazer um Parecer técnico, mas os técnicos só visitaram algumas Unidades Básicas de Saúde e conversaram apenas com as chefias, sem realizar vistoria de campo. Ou seja, deixaram os ACEs à margem da “pesquisa”.

Nessas unidades de saúde TODOS os servidores recebem a Insalubridade Máxima MENOS os Agentes de Combate às Endemias. Além disso, as funções desempenhadas se enquadrem exatamente nos itens 9 e 11 do Decreto 3449/99 que caracterizam o grau máximo.

Na última reunião com o governo, os Agentes expuseram todas essas contradições e reivindicaram novas visitas que contem com a participação dos profissionais que executam diretamente as funções em estudo, e não apenas suas chefias. Os ACE também querem indicar unidades que serão visitadas e que as datas sejam divulgadas com antecedência para contar com a presença do sindicato.

AGENTES DE COMBATE ÀS ENDEMIAS

ACOMPANHANTES TERAPÊUTICOS

Os Acompanhantes Terapêuticos estão na briga pela justa reclassificação para a faixa salarial do nível “N”. Hoje esses profissionais recebem salários não condizentes com a complexidade dos serviços prestados de alta responsabilidade na área da saúde mental.

A reivindicação tem mais de 3 anos, mas voltou a mobilizar os servidores que agora aguardam nova reunião já com os impactos financeiros.

ACOMPANHANTES TERAPÊUTICOS

Nenhum direito ou benefício veio de graça para os trabalhadores. Só com muita luta conquistamos diminuição da jornada de trabalho, férias, 13° e condições mínimas de trabalho.

Com as lutas específicas de cada cargo não é diferente, só haverá conquistas se os servidores continuarem mobilizados, unidos e fazendo pressão.

SÓ A LUTA COLETIVA MUDA A VIDA!